Pernambuco aumenta em 60 % número de transplantes de coração

0
FOTO: Pixabay

Nesta sexta-feira (29) é celebrado o Dia Mundial do Coração. Em Pernambuco, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) comemora um aumento de 60% nos transplantes do órgão realizados no Estado, em comparativo ao mesmo período do ano passado. Já foram realizadas 40 intervenções cirúrgicas do tipo, até agosto de 2017. Em 2016, apenas 25 haviam sido feitas.

Pernambuco fica apenas atrás de São Paulo no ranking nacional. “O programa de transplante cardíaco está muito consolidado em Pernambuco e isso revela que o serviço é realizado de forma correta e eficaz, também sendo referência para receber pacientes de outras unidades federativas. É essencial que a sociedade entenda a importância da doação e mais e mais pessoas decidam por este ato”, garante a coordenadora da Central de Transplantes de Pernambuco (CT-PE), Noemy Gomes. Em Pernambuco, duas unidades realizam este tipo de cirurgia pelo SUS – o Imip, responsável por 75% dos casos, e o Real Hospital Português.

Atualmente, a fila de espera por um coração no Estado é de cinco pessoas. Dos órgãos transplantados em Pernambuco, o coração é o que pode passar menos tempo fora do corpo humanp; o transplante é delicado e exige muito cuidado, sendo indicado apenas para pacientes portadores de cardiopatias graves e quando já não há outra alternativa de tratamento.

Entre os anos de 2013 e 2015, no ranking dos principais grupos de óbitos por causa natural em Pernambuco, excluindo os óbitos por causas externas, as doenças do aparelho circulatório aparecem em primeiro lugar, seguido pelas neoplasias e doenças do aparelho respiratório. Foram registrados 17.300 óbitos em 2013; 16.961 no ano seguinte; e 17.829 em 2015.

O atendimento cardiológico no SUS em Pernambuco é realizado pelo Procape, Hospital Agamenon Magalhães, Pelópidas Silveira, Dom Hélder Câmara e Mestre Vitalino, em Caruaru. Além disso, a rede de atendimento de emergência aos pacientes com problemas cardíacos conta com 15 UPAs e 13 hospitais regionais. As Unidades Pernambucanas de Atendimento Especializado (UPAEs) ofertam exames específicos e consultas ambulatoriais com cardiologistas, evitando que hipertensos, cardiopatas e diabéticos tenham o agravamento de seus quadros ou qualquer tipo de intercorrência.

EVOLUÇÃO – TRANSPLANTES DE CORAÇÃO

2010 – 7

2011 – 8

2012 – 18

2013 – 27

2014 – 25

2015 – 45

2016 – 38

2017 – 40* (ATÉ AGOSTO)

COMPARTILHAR