Lafepe firma parceria com sete laboratórios privados

0
Foto: Divulgação/LAFEPE

Sete laboratórios privados foram selecionados pelo Lafepe após uma chamada pública lançada no mês de maio. O pleito buscava empresas interessadas na elaboração e desenvolvimento de projeto executivos de PDPs (Parceria para o Desenvolvimento Produtivo) com o laboratório pernambucano.

Os habilitados foram os laboratórios Aché, Aurobindo, Blanver, Cristália, Gilead, Janssen e Novartis. Segundo o Lafepe, o objetivo é firmar parcerias para transferência de tecnologia e produção de medicamentos antirretrovirais e antivirais para tratamento de esclerose múltipla, doença de Parkinson, câncer de próstata e de pulmão.

As PDPs são parcerias entre instituições públicas e entidades privadas com a finalidade de desenvolvimento de tecnologias e capacitações produtivas que atendam às demandas do Sistema Único de Saúde (SUS). O Ministério da Saúde reconhece e incentiva tais parcerias, cujos acordos de cooperação técnica variam de 5 a 10 anos, a depender da complexidade tecnológica de cada medicamento. Até o resultado final (a produção pelo Lafepe), as empresas privadas se comprometem a cumrpir com o volume e cronograma de entrega estabelecidos pelo Ministério.

Entre os laboratórios públicos brasileiros, o Lafepe se tornou o primeiro a concluir todas as etapas de uma PDP e já iniciou a demanda total de produção do antipsicótivo Clozapina (comprimidos de 25 mg e 100 mg). O órgão acredita que a esta produção represente cerca de R$ 45 milhões no faturamento deste ano do laboratório pernambucano.

Ainda são esperadas, no segundo semestre de 2017, as produções de outros dois medicamentos da mesma classe farmacêutica: a Quetiapina e a Olanzapina.

COMPARTILHAR